Era o que ela pensava ao atender o telefone, em casa por conta de um canal… “Só pode ser karma… Só pode!!!” pensava enquanto ouvia o amigo do outro lado da linha tecer um baita rosário sobre suas dores, decepções e frustrações e ouvir ainda de quebra: “te muharraqi liguei porque é a única pessoa que me entende.” Nossa ela detestava quando ele apela pra piedade dela. E lá pelas tantas depois de tanta reclamação da vida despejada ele vira e fala: “vi sua foto com o seu cão você está com um corpo bom.” no que ela pensou: “Meu Deus era só o que me faltava! Será que ele nunca percebeu que eu nunca quis nada com ele?” E é claro que ele não havia se esquecido de mencionar a surpresa dele ao lembrar de quando ela estava acima do peso, algo absolutamente inconveniente, mas quanto ao fato dele ser inconveniente ela já estava acostumada. E lembrou-se que apesar de todo mal que ele havia causado a ela, hoje era outro dia… e que ele não tem poder  pra segurar o que não era dele.

Começou a lembrar de quando se conheceram e de quando ele invadiu a vida dela e nunca mais saiu. Das vezes que ele parava no apartamento dela e ficava falando e falando horas a fio, as vezes a tarde toda sem que ela nem sequer prestasse atenção. Ele nunca se importou, sempre foi alguém que quando cismava com algo achava que já era seu e pronto… não se importava nem de passar por cima dos outros pra alcançar suas metas.

Ela parou pra ouvi-lo, e a ladainha continuava querer não é poder a Xuxa diz isso, mas não é verdade. Ela quase surtou quando ouviu isso e segurou o riso, Xuxa a filosofa… aí aí só ele mesmo pra pensar assim. Aí não se conteve e falou que querer é poder, mas que é até certo ponto, quando é algo que só depende da gente realmente querer é poder, mas quando depende de mais alguém só é mesmo  poder naquilo que depende da gente. É que as pessoas que fazem não rezam, as rezam não fazem… em média costuma ser assim. O ser humano e o lado magico da vida… afff

Ele havia se enfiado na vida dela, causado toda sorte de confusão e intriga sem motivo nenhum a não ser querer ocupar um lugar que nunca foi dele e ao qual ele realmente nunca teve a menor chance, embora insistisse nessa loucura usando todo tipo de artimanha. O fato é que ele nunca conseguiu ter ela e nunca ia ter mesmo, parece que finalmente ele havia acordado pra isso. Ele no afã de querer o que não era seu, deixara escapar o que era dele e agora se lamentava e justamente no ouvido dela, uma das pessoas que ele mais prejudicou. Aquelas ironias do destino, só pode, pensou ela enquanto ouvia pacientemente.

Até que ela foi percebendo que aquela era a hora de colocar as coisas em seu devido lugar e de uma forma serena, sem desgastes. Então ponderou com ele e mandou que ele fosse atrás do que era dele e que ele deixou passar no afã de querer o que era de outro. Disse a ele com todas as letras o que deveria ser dito e com tanta calma que ele ficou assombrado. Sim dessa vez ela havia feito a coisa certa, pois finalmente ele havia percebido que não adianta armar, porque ela não cairia mais na rede de intriga dele e esperava que os outros também não caíssem… pelo menos ela fez a parte dela. Ele que de bobo sempre teve só a cara, era uma serpente isso sim, percebeu exatamente do que ela estava falando além das palavras e num susto despediu-se e ela ao desligar o telefone, não pode deixar de se questionar: “Será que eu errei tanto assim de profissão? Só pode, é cada coisa que eu escuto que eu deveria é ter estudado psicologia, ou quem sabe psiquiatria…” mas depois recupera a lucidez e vê que ela não errou de profissão não, é que isso faz parte da vida mesmo e que apesar de tudo que ele havia feito a ela, ela não guardava mágoa dele e queria bem a ele como a um irmão e parecia que finalmente ele havia acordado pra isso finalmente. Tudo estava finalmente chegando ao seu lugar, como em uma bela canção, finalmente ela estava livre de toda aquela confusão e podia em fim chegar onde sempre  deveria estar e respirando aliviada percebeu que o (a)manhã chega para aqueles que se guardam do mal e sabem esperar. ;)

About these ads